• Argentina
  • Bolívia
  • Brasil
  • Chile
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • Cuba
  • Equador
  • El Salvador
  • Guatemala
  • Honduras
  • México
  • Nicarágua
  • Panamá
  • Paraguai
  • Peru
  • República Dominicana
  • Uruguai
  • Venezuela
Agricultura e Pecuária
Copa estimulará cultivo de grama

Relativamente recente no País - os primeiros plantios foram iniciados em 1973, em Itapetininga (SP), - o setor ligado ao cultivo de grama está otimista. Segundo pesquisa realizada com 50 representantes da cadeia produtiva, 84% dos entrevistados acreditam que a Copa do Mundo 2014 e a Olimpíada de 2016 vão influenciar positivamente os negócios. A pesquisa foi apresentada na semana passada, no 5.º Simpósio sobre Gramados, promovido pela Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp de Botucatu (SP).

Além do mercado esportivo, o de paisagismo - puxado pelo boom da construção civil - estimula o crescimento do setor, diz o agrônomo Maurício Ercoli Zanon, da Itograss, pioneira no mercado de grama no País. Hoje, conforme levantamento da empresa, o cultivo de grama no Brasil ocupa 17 mil hectares - o Estado de São Paulo representa 43% da produção nacional, com pouco mais de 7 mil hectares, sobretudo na região de Itapetininga. A grama esmeralda é a variedade mais difundida, com 12.400 hectares, seguida da são carlos, com 4 mil.

"A região de Itapetininga tem cerca de 130 produtores, que cultivam entre 3.500 e 4 mil hectares", diz o agrônomo Osvaldo Numata, da Associação dos Gramicultores do Brasil (Agrabras). A entidade congrega 41 produtores. "Há associados de Angatuba, Tatuí, Campinas, Santo Antonio de Posse e até de Rio Verde, em Goiás."

Na atividade há quase 20 anos, o produtor Mauro Francisco Rondelli ilustra a tecnificação do setor. Ele possui, em Campinas e Capela do Alto, 135 hectares de grama esmeralda, imperial, são carlos plus e bermuda celebration e, há seis anos, mecanizou a colheita. "Adaptei um trator e, após um ano e meio de testes, a colhedora ficou pronta", diz Rondelli, explicando que vende a grama em "tapetes" paletizados. "Investi R$ 70 mil na colhedora e valeu a pena."

A grama é vendida por metro quadrado, ao preço médio de R$ 2,50 ao produtor. "Vale a lei da oferta e procura", diz o agrônomo Caio Karabachian Cayres, de Itapetininga, que possui 40 hectares e produz grama esmeralda, bermudas, coreana e santo agostinho.

Lavoura. O cultivo de grama, diz Rondelli, é semelhante ao de uma lavoura comercial. É preciso preparar o solo, adubar, controlar pragas e doenças. "A vantagem é que a grama rebrota. Há 11 anos produzo na mesma área. Mas, para isso, é preciso adotar um manejo correto do solo e da planta", diz. O custo de produção representa 80% do valor da venda.

A pioneira Itograss tem áreas de produção em quase todos os Estados e atende principalmente ao setor da construção civil. Ao todo, são 6 mil hectares cultivados. Segundo o gerente de produção da Itograss, Marcus Rodrigues Evangelista, o mercado está se organizando, mas os chamados "produtores de ocasião", que se aventuram e não investem em qualidade, atrapalham.

Tecnologia americana. "Normalmente, as tecnologias são desenvolvidas nos Estados Unidos e a gente vai atrás. Lá é a referência", diz Evangelista. "Importamos uma colhedora em 1997, mas a manutenção era cara. Hoje já há colhedoras nacionais." Uma máquina completa pode custar R$ 150 mil.

Evangelista diz que a adubação é o principal item do custo de produção. "Além do grupo de pesquisa da Unesp, temos um centro de pesquisa, que trabalha com nutrição, defensivos e variedades melhoradas." Foi o departamento de pesquisa da Itograss que desenvolveu a variedade imperial, a primeira cultivar de grama protegida no Brasil pela Lei de Proteção de Cultivares do Ministério da Agricultura. "Como a imperial é usada nos EUA, trata-se da primeira cultivar brasileira a receber royalties do exterior."

 

 

PONTOS-CHAVE
A escolha da grama depende da finalidade do gramado

Esmeralda
É a mais comercializada no Brasil. É indicada para residências, parques e casas de campo. Tem boa tolerância à sombra


São Carlos
Forma um gramado denso e homogêneo e tem rápida capacidade de regeneração. Tem excelente tolerância a baixas temperaturas


Bermudas
É a mais indicada para a formação de gramados esportivos, com boa resistência ao pisoteio e capacidade de regeneração

 

 

DICAS DE JARDINEIRO

Antes de instalar o gramado, saiba em que direção a água da chuva corre

Use terra para jardim, limpa e batida certifique-se de que a área recebeu adubo de maneira uniforme

Os tapetes encolhem. Intercale as placas como se fosse uma parede de tijolos para evitar buracos. É por essas frestas que crescem ervas daninhas

Antes de escolher a grama, cheque se na área bate sol prepare o terreno antes de comprar a grama

O tapete de grama deve ter, no mínimo, 2 centímetros de terra

Fonte: OESP 19/05/2010

Fernanda Yoneya - O Estado de S.Paulo

 
últimas notícias da categoria:
 
Mais notícias desta categoria:
 
Veja todas as notícias:
 
Envie esta notícia

 Voltar
  • banner_america_latina

© Copyright 2007 / 2007 - Todos os Direitos Reservados