• Argentina
  • Bolívia
  • Brasil
  • Chile
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • Cuba
  • Equador
  • El Salvador
  • Guatemala
  • Honduras
  • México
  • Nicarágua
  • Panamá
  • Paraguai
  • Peru
  • República Dominicana
  • Uruguai
  • Venezuela
Serviços
Segatto leva seus móveis a NY e negocia com Venezuela, Colômbia e Chile...

Valor Econômico, 21/02/2008.

Brasileiro na Broadway


Há pouco mais de um ano a Segatto, indústria de móveis de alto padrão, iniciou sua estratégia de exportação participando de feiras nos Estados Unidos. O plano rendeu frutos. Em abril, será inaugurada uma loja em Nova York, no coração da Broadway. A oportunidade surgiu através da parceria com a rede Metropolitan Design Center, fabricante de móveis do Brooklyn, responsável pela logística. Foram investidos US$ 300 mil no ponto de 200 metros quadrados, que terá o nome "Segatto for MDC". A coleção será basicamente a mesma daqui, com algumas mudanças de especificações para se adequar ao consumidor americano. "O bom momento do mercado interno nos deu fôlego e permitiu investirmos na exportação", explica João Segatto, sócio da empresa. Ele planeja mais duas lojas em Nova York, entre 12 e 18 meses, e está em negociações na América Latina com a Venezuela, Colômbia e o Chile. "Os Estados Unidos não têm tradição na fabricação de móveis de alto padrão, eles importam tudo. Nossa qualidade é comparável aos móveis italianos, portanto, é uma oportunidade grande vender para eles." A meta de João é que as exportações representem de 20% a 25% do faturamento este ano.

Broadway I

No final desse mês, a Segatto lança sua linha de cozinhas. "Os consumidores iniciam a compra pela cozinha. Estávamos perdendo essa fase." Também está na pauta criar uma nova marca com móveis que atendam a classe com renda menor. "É nesse nicho que ocorre o boom imobiliário, e estamos avaliando como vamos aproveitá-lo."

Bradway II

A Segatto nasceu em 1936, mas chegou ao varejo apenas há oito anos. A fábrica fica em Diadema e há uma única loja na alameda Gabriel Monteiro da Silva, em São Paulo. "Não há espaço no mercado interno paulista para mais lojas. Talvez apenas em Brasília e Rio de Janeiro".


 
últimas notícias da categoria:
 
Mais notícias desta categoria:
 
Veja todas as notícias:
 
Envie esta notícia

 Voltar
  • banner_america_latina

© Copyright 2007 / 2007 - Todos os Direitos Reservados